Blog

artrose

Como a artrose afeta a independência na terceira idade?

A artrose é uma condição degenerativa que afeta milhões de pessoas ao redor do mundo, especialmente os idosos.

Na terceira idade, a artrose pode impactar significativamente a independência e a qualidade de vida dos indivíduos.

Por isso, este artigo irá explorar como a artrose afeta a independência dos idosos, a importância da proteção articular e os sintomas mais comuns desta doença.

A importância da proteção articular

A proteção articular é essencial para preservar nosso bem maior: as cartilagens. Trata-se de tecidos resistentes que revestem as extremidades dos ossos nas articulações, permitindo movimentos suaves e sem atrito.

A falta desta proteção das cartilagens leva ao desgaste, resultando em artrose.

Os condrócitos, os quais são as células responsáveis pela formação da cartilagem, não se regeneram facilmente. Isso ocorre porque essas células recebem pouca irrigação sanguínea, uma vez que estão localizadas na cabeça dos ossos.

Quando as cartilagens começam a se desgastar, os ossos acabam se tocando diretamente, o que causa dor intensa e limita os movimentos.

O papel dos músculos na proteção das articulações

Os músculos desempenham um papel fundamental como amortecedores das articulações.

Eles ajudam a proteger as cartilagens, absorvendo o impacto dos movimentos e reduzindo o desgaste das articulações.

Nesse sentido, quando os músculos estão fortes e bem desenvolvidos, eles conseguem suportar melhor as cargas e pressões exercidas sobre as articulações, retardando o progresso da artrose.

No entanto, quando as cartilagens começam a desaparecer devido ao desgaste, os ossos acabam se tocando diretamente.

Esse contato resulta em um atrito doloroso, levando a uma dor limitante, que pode ser tão severo que o paciente acaba preso no sofá, incapaz de realizar suas atividades diárias normais.

Leia também: Descubra a melhor maneira de proteger as articulações

Sintomas da artrose

Os sintomas da artrose podem variar em intensidade e impacto, mas geralmente incluem:

  1. Dor nas articulações: a dor pode ser constante ou ocorrer apenas durante o movimento;
  2. Rigidez: especialmente ao acordar ou após longos períodos de inatividade;
  3. Inchaço: as articulações podem parecer inchadas e sensíveis ao toque;
  4. Perda de flexibilidade: movimentar a articulação afetada pode se tornar difícil;
  5. Sensação de estalos e rangidos: sentir ou ouvir um estalo ao mover a articulação;
  6. Esporões ósseos: pequenos pedaços extras de osso que podem se formar ao redor da articulação afetada;
  7. Deformidade da articulação: em casos avançados, as articulações podem se deformar visivelmente.

Impacto na independência dos idosos

A dor constante e a rigidez nas articulações causadas pela artrose podem tornar difícil, senão impossível, a realização de atividades diárias simples.

Subir escadas, caminhar até o mercado ou até mesmo levantar-se da cama podem se tornar tarefas dolorosas.

Esta limitação física não só impacta a mobilidade, mas também a independência e a autoestima dos idosos.

A incapacidade de realizar atividades cotidianas sem dor leva a uma diminuição da qualidade de vida.

Muitos idosos se encontram isolados, já que não conseguem participar de atividades sociais ou eventos familiares devido à dor debilitante.

A falta de movimento também pode resultar em perda de massa muscular e aumento do risco de quedas, o que pode levar a mais complicações de saúde.

Talvez você goste: Entenda como é possível ganhar massa muscular após os 50 anos

É possível prevenir a artrose?

A resposta é sim! A prevenção é essencial e pode ser iniciada muito antes dos primeiros sintomas aparecerem.

Estrategicamente, a proteção articular e o fortalecimento muscular são fundamentais. A prática regular de exercícios físicos (principalmente acompanhada e direcionada por profissionais qualificados), uma dieta equilibrada e a manutenção de um peso saudável contribuem significativamente para a saúde das articulações.

É importante adotar uma abordagem preventiva na meia-idade, antes dos 50 anos, para evitar, ao máximo, o desgaste das cartilagens e manter a funcionalidade das articulações.

Qual o momento certo para começar?

Como dissemos anteriormente, a prevenção da artrose deve começar quanto antes. Esperar até a terceira idade pode resultar em maiores dificuldades para manejar a doença e preservar a independência.

Iniciar medidas preventivas cedo, como a prática de atividades físicas específicas e a adoção de técnicas avançadas de proteção articular, pode retardar ou evitar o progresso da artrose.

Artrose: estratégias de tratamento e prevenção

A artrose pode impactar significativamente a qualidade de vida com o avanço da idade, mas é possível prevenir a doença e reabilitar aqueles já afetados com estratégias de tratamento eficazes.

O Método Integrado Vincere® oferece uma abordagem abrangente e totalmente personalizada para tratar e prevenir a artrose.

Na prevenção, foca-se em exercícios específicos que fortalecem os músculos ao redor das articulações, melhorando a estabilidade e reduzindo a pressão nas áreas afetadas.

Combinando técnicas de pilates clínico, treinamento funcional e terapias manuais, o Método visa melhorar a flexibilidade, aumentar a força muscular e promover a mobilidade das articulações, prevenindo o desgaste excessivo.

Essa abordagem não só reduz o risco de desenvolver artrose, mas também promove uma vida mais ativa e saudável.

Já para quem já sofre da doença, o Método Integrado Vincere® utiliza técnicas terapêuticas para restaurar a mobilidade e funcionalidade das articulações.

Com uma equipe multidisciplinar dedicada e um plano de tratamento individualizado, é possível reduzir a dor e melhorar a mobilidade, promovendo uma melhor qualidade de vida.

Fortalecendo os músculos e aprimorando a amplitude de movimento, os pacientes se sentem mais confiantes e capazes de realizar atividades diárias sem dor debilitante. Saiba mais!

Clínica Vincere
✅WhatsApp (11) 96666-9575
📍Unidades Moema e Itaim Bibi – SP
RT: Amanda Pereira da Silva (CREFITO 3 – 302269-F) e Larissa Weissheimer (CREFITO 254994-F)