voltar

Qual Tipo de Academia escolher depois dos 40 anos?

Data de postagem 04/04/2018 | escrito por
Qual o tipo de academia escolher depois dos 40

Qual tipo de academia escolher depois dos 40 anos?

Você chegou aos 40 anos e por uma questão pessoal ou até mesmo uma indicação médica sabe que precisa incluir um exercício físico na sua rotina (se é que já não o incluiu) e logo inicia a busca por um tipo de academia convencional.

Mas os primeiros dilemas logo aparecem….

…qual a melhor atividade para mim?

…eu estou sem fazer nada há muito tempo!

…será que eu vou conseguir?

Calma.

A recomendação médica básica é uma caminhada três vezes por semana. Pode ser de 30 minutos cada uma.

Só essa atividade já é o suficiente para tirar uma pessoa da condição de sedentarismo.

É bem fácil de praticar e não custa quase nada.

Só falta começar.

É aquele… primeiro passo.

A academia convencional pode ser uma opção para fazer exercícios físicos

Mas tem gente que não se contenta somente com a caminhada.

Elas possuem disposição para frequentar uma academia (vamos chamar aqui de academia convencional).

E quando falo aqui de academia convencional veja só, será que vem à sua mente algo parecido com esse cenário?

Ambiente movimentado.

Um público jovem e sarado.

Eles conversam em voz alta porque toca uma música que está em volume também alto (eu tenho amigos que chamam essas músicas de putz, putz).

Não quero aqui dizer que todas as academias convencionais sejam desse jeito, não são.  É claro que há academias de outros tipos.

Mas uma coisa é certa, a maioria das academias são feitas para um público jovem (de idade).

Então, o dono dessa academia precisa manter a empresa viva e vai atrair o público jovem.

Por isso ele tem que encher o ambiente de elementos que atraiam… os jovens.

E tudo bem se for assim….

Mas o que eu quero chamar a atenção aqui é para o público que chegou aos 40 anos.

E até já passou dos 40.

Os jovens de 40 anos (ou mais) estão se lesionando por pura desinformação

Quem chegou aos 40 anos possui características bem específicas.

São homens e mulheres que não se preocupam apenas com a aparência.

Eles descobriram que a chegada da meia idade vem acompanhada de mudanças que exigem atenção dobrada.

Têm que lidar com dores articulares, hérnias de disco, patologias, enfim, eles estão muito mais preocupados com problemas que não apareciam a 15 ou 20 anos antes.

São pessoas que dedicam mais atenção na saúde e qualidade de vida.

Eles não podem considerar apenas a musculação como opção de exercício físico. Eles precisam ter muito cuidado ao escolher uma atividade.

Se optarem pela atividade que não é a mais adequada ao seu perfil correm o risco de agravar um problema existente ou ganhar uma lesão mais grave.

É muito comum aqui na Vincere aparecer pessoas nos consultando e que possuem lesões adquiridas em variados tipos de treinamentos.

Fazer o exercício por conta própria expões o corpo a um alto risco de lesão

As principais causas de lesões em treinamento são a ausência de orientação adequada e a falta de um acompanhamento rigoroso do paciente/aluno no momento do exercício.

Há algumas perguntas que são básicas, mas que pouca gente se preocupa em responder quando vai iniciar um exercício físico:

  • Qual exercício é o mais adequado ao meu perfil?
  • Já sinto uma dorzinha, será que vai prejudicar mais?
  • Estou fazendo o movimento correto?
  • A carga está correta?
  • Qual músculo um exercício deve trabalhar?

Há um número muito maior de variantes que vão determinar o sucesso do treinamento/tratamento, mas somente com o auxílio e acompanhamento do profissional especializado essas perguntas poderão ser respondidas.

Veja um cenário em que não há acompanhamento especializado:

A pessoa vai fazer um tipo de exercício que exige carga e coloca um peso para iniciar o movimento.

Faz a primeira série e acredita que o peso está muito leve e então acrescenta mais peso.

Já viu algo assim?

O que ela não sabe é que o movimento deve ser feito com a carga leve mesmo. Não tem nada de errado.

A carga leve não quer dizer que a pessoa pode menos ou mais, apenas quer dizer que o músculo precisa do mínimo suficiente para ser despertado e trabalhado.

O músculo precisa é de longevidade. Não precisa ser agredido.

Mas quando a pessoa aumenta a carga e despeja a força no próximo movimento o que acontece?

Ela está muito mais exposta ao risco de uma lesão muscular.

É por isso que muitas pessoas chegam aqui nos procurando para o tratamento de fisioterapia.

Elas querem curar suas lesões que foram adquiridas ao fazer um treinamento, no mínimo, inadequado ao seu perfil e sem acompanhamento de um profissional.

Siga esses procedimentos básicos quando tomar a decisão de procurar uma academia para treinar

O primeiro e mais importante passo para a elaboração de uma estratégia de tratamento ou treinamento é fazer uma avaliação fisioterapêutica postural detalhada e rigorosa.

É esse procedimento que vai ajudar o fisioterapeuta a identificar em conjunto com o paciente/aluno acontecimentos em seu histórico de vida que podem ser a causa de dores e problemas atuais.

A dor atual pode ser uma compensação do corpo para um problema pré-existente.

Quer ver?

Já que falamos lá no início em “primeiro passo” vamos aproveitar esse gancho…

Você sabia que em uma caminhada tranquila é muito importante que a pisada seja uniforme?

Caso contrário, se a pisada for torta, pode exigir mais do quadril e provocar, veja só, dores no quadril?

Sim, é possível.

A causa do problema é a pisada torta.

O efeito é a dor no quadril.

Você pode tratar e sanar a dor do quadril por um tempo, mas se não tratar a causa (pisada torta), então a dor no quadril vai voltar. É só uma questão de tempo.

Esse foi só um exemplo.

Há outras situações de causa e efeito que podem provocar também dores na coluna, no joelho e em outras partes do corpo.

Talvez não seja o seu caso, mas eu citei esse exemplo para demonstrar uma coisa…

A importância da primeira ação após a decisão de iniciar um treinamento ou tratamento com exercício físico.

Comece fazendo a avaliação fisioterapêutica postural.

Após os 40 anos, a pessoa vai começar a lidar com o progresso natural do envelhecimento e vai precisar ainda mais de uma boa avaliação, exercícios bem prescritos e orientação dentro e fora da academia.

Só assim o resultado com eficiência vai aparecer.

Se você já chegou aos 40 anos, já passou dos 40 anos ou mesmo se ainda nem chegou, tenha isso em mente quando decidir iniciar um treinamento com exercício físico:

Dê preferência por academias que tenham em seu quadro profissionais formados e treinados. São eles que vão lhe orientar sobre qual treinamento será o mais adequado ao seu perfil.

São eles que vão lhe dar a segurança ao fazerem o acompanhamento do movimento certo, com carga certa, trabalhando o músculo certo durante todo o exercício.

Faça uma avaliação fisioterapêutica postural.

O fisioterapeuta é o profissional mais indicado para identificar problemas de postura e que podem ser a causa de problemas crônicos e que incomodam o seu dia a dia.

Tomando essas precauções simples você vai garantir mais qualidade de vida, saúde e treinamentos na medida certa por muito tempo.

Vincere - Fale com a gente
Vincere – Fale com a gente